Início

terça-feira, 15 de março de 2011

Viva ao poeta!



POESIANDO

Na voz de Castro Alves
O clamor da liberdade
O Pessoa a usou
Pra confundir a realidade
Às vezes um tanto insana
Nos poemas do Quintana
O Vinícius lhe deu o tom
Do infinito até o fim
Tuas cores estão nos sons
Das letras do Jobim

São tantos os poetas
E tantos são os leitores
Quem escreve traduz em letras
Suas alacridades e dores
Quem ler dá à poesia
Os sentidos e as cores!

Sigo eu poesiando
O que a alma processa
Muitas vezes calado
Meu coração se expressa
Então descanso, em versos mansos
Minhas inquietudes e nostalgias...
Essência revelada em poemas
E sentida em poesias!

Ivone Alves SOL

POESIA

Afeiçôo-me dessa arte que me cria
Que me inventa da lágrima solitária
Que, sem expressão, obsta a homília
E, diz-me viva, numa tumba minada

Posto que eu seja a arte do que crio
Pois a vida vive à parte – e parte
Enquanto a olho sem vê-la – arredio
Da poesia que em meu túmulo nasce

Suscito nos versos que crescem
E dão corpo a minh’alma esguia
Visto que neles a vida acontece
E, eu só existo, quando em poesia

Ivone Alves SOL

Parabéns a todos que fazem e que sentem a poesia!
Salve, salve! Castro Alves!!!

*14 de março de, Dia Nacional da Poesia



Ivone Alves SOL é poeta, membra da Academia de Cultura da Bahia

1 comentários:

Ivone Alves SOL disse...

Ah, muito obrigada, garoto! Que bom que gostaste! Honra-me astar aqui, Parabéns a ti também, que és um excelente poeta! Bjs, Sol

Postar um comentário