Início

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Acorda Brasil!!!!




Desde o início da propaganda eleitoral na TV, o palhaço Tiririca, nome artístico do humorista Francisco Oliveira Silva, de 45 anos, candidato a deputado federal em São Paulo pelo PR, repete dois slogans que viraram as marcas de sua campanha. O primeiro é “Vote em Tiririca. Pior que está não fica”. O segundo é “Você sabe o que faz um deputado federal? Eu não sei, mas vote em mim que eu te conto”.

O próprio sucesso eleitoral de Tiririca, um dos prováveis campeões de voto para deputado federal, sugere a nulidade do primeiro bordão. Com uma campanha rica e organizada, Tiririca é incapaz de defender ou formular minimamente qualquer proposta e debocha acintosamente do sistema eleitoral.

Cerca de 60% dos eleitores acham que arrumar emprego, ajudar aliados e promover eventos de lazer são funções de um deputado federal

13% valorizam em primeiro lugar os parlamentares que estudam e participam das votações importantes do país

73% afirmam que o total de deputados federais e senadores da República deveriam diminui.

Estima-se que, em números absolutos, Tiririca poderá ser o parlamentar mais votado do Brasil, com potencial para atingir mais de 1 milhão de sufrágios. Esse índice seria suficiente para levar em sua garupa mais quatro ou cinco deputados para Brasília, beneficiando candidatos menos votados da coligação, que inclui PT, PCdoB, PRB e PTdoB.

Enquanto o primeiro bordão de Tiririca tende a ser desmentido pelos fatos, o segundo resume com precisão um tipo de deficiência que parece generalizado entre os eleitores. Uma pesquisa inédita feita pelo Ibope sobre o grau de conhecimento a respeito das funções de deputados e senadores mostra exatamente aquilo que Tiririca não para de repetir: a maior parte das pessoas aptas a votar não sabe bem ao certo para que serve um congressista.

O questionário da pesquisa foi elaborado por ÉPOCA com o auxílio do cientista político Fernando Abrucio e de profissionais do Ibope. A pesquisa mostra que a maioria dos eleitores é capaz de identificar corretamente algumas atribuições dos parlamentares. Quase 90% concordam que “votar pela criação ou reforma de leis” é função de um deputado. Além disso, 83% responderam positivamente à questão sobre a fiscalização do governo federal pelo Legislativo. Mas, em geral, prevalece na cabeça do eleitor a confusão.


_______________________________________________________________

A pesquisa diária Tracking Vox Populi/iG/Band desta terça-feira 28 não mostrou grandes mudanças em relação à da segunda-feira 27. A candidata Dilma Rousseff (PT) manteve-se estável e registrou 49% das intenções de voto. José Serra (PSDB) oscilou um ponto para cima e chegou aos 25% e a “onda verde” de Marina Silva (PV) teve uma leve freada e a candidata oscilou um ponto percentual para baixo, registrando 12%. Plinio Arruda Samapaio continua com 2% das intenções de voto.

Os demais não pontuaram.

A margem de erro da amostra é de 2,2 pontos percentuais para cima ou para baixo. Indecisos estão em 8% e brancos e nulos, 4%. São entrevistadas diariamente 2.000 pessoas para a amostragem.


E você já decidiu? Já analizou as propostas dos 4 principais candidatos? então decidade lembre-se que ele gorvernará seu país, por 4 anos.

Abaixo os candidatos por ordem de intenção de votos segundo a pesquisa acima, seu partido e seu numero eleitoral. Antes de voltar analize as propostas e biografia na internet.

Dilma-PT 13


Serra-PSDB 45

Marina- PV 43

Plinio- Psol 50

_____________________________________________________


Galera encontrei um site bacana do professor de comunicação e Ciêntista politico Wilson Gomes:

http://wilsongomes.com.br/

domingo, 26 de setembro de 2010

Luís - O poeta erudito


Hoje acabei de terminar minha leitura, o livro Mais que sempre, é do Poeta e Professor universitário bahiano Luís Antonio Cajazeiras Ramos. Adorei o livro! Apesar de conter uns poemas um pouco vulgar ele sabe como prender a atenção do leitor, isso é o importante.
Abaixo a Biografia do Autor e um poema seu.

Luís Antônio Cajazeira Ramos nasceu em 12 de agosto de 1956 em Salvador, onde ainda mora. É professor da UCSAL (onde é formado em Educação Física e Direito), funcionário do Banco Central do Brasil, membro da OAB, sócio do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia e conselheiro editorial da revista Iararana. Tentou ainda os cursos de Engenharia Elétrica e Agronomia, ambos na UFBA, mas os abandonou. Possui poesias em muitas antologias e sempre está a publicar resenhas e poesias em periódicos, cuja listagem de tudo pode ser facilmente encontrada por meios virtuais. Por livros de poesia começou com “Tudo Muito Pouco” em 1983, livro que boa parte da impressão foi queimada pelo autor. Voltou com “Fiat Breu” em 1996 e “Como Se” em 1999, que lhe rendeu menção honrosa do prêmio nacional Cruz e Sousa. Em 2002 saiu “Temporal Temporal”, que recebeu o prêmio Gregório de Matos promovido pela Academia de Letras da Bahia, e em 2007 lançou “Mais que Sempre”, sendo este uma coletânea feita por Cajazeira para comemorar seus cinqüenta anos, acrescido de
alguns novos poemas.


Basta, Coração!

Onde jaz, coração, meu peito é morto.
Uma pétala pálida - eis a pele.
Em ardências de vela esvai-se o corpo.
Do porto inútil parte um sol de neve.

Horizontalizaram-se as ladeiras.
Os horizontes viram-se sem prumo.
Os fios desaliaram-se das teias.
O Deus de todos debandou do mundo.

Quanta lágrima súbita? Nenhuma.
O mesmo pranto paira e espraia a bruma.
Mas o olhar sobra ao choro cego e vê.

Nem sei se a vida vale a flor que espreito.
Coração, tem-me à força em dor sem jeito.
Eu morro de vergonha de você.

(Luís Antonio Cajazeira Ramos)

-------------------------------------------

Véspera do dia dos mortos

Eu não amei meu pai como devia.
Houve o dia de amá-lo e não o amei.
Ele morreu, e não nasci ainda.
Amanhã levantei sem seu amor.

Nenhum conselho amigo soa seu.
Uma vida padrasta me acompanha.
Meu caminho não quis olhar pra trás.
Tão longe de meu pai me abandonei.

Nem meu, nem de ninguém, nunca fui seu.
Não me quis dar a quem eu estranhava.
Só teu colo, mamãe, era aconchego.

Do pai, resta-me um calo de silêncios.
Ai, arranco do peito o corpo estranho.
Coração, cava o chão, busca meu pai.

(Luís Antonio Cajazeira Ramos)

Pior que estar fica


Encontrei esse texto no blog da jornalista baiana Malu Fontes, achei tão interressante que vou postar aqui.

HÁ ALGUM TEMPO, passei as festas de fim de ano no litoral sul do Rio de Janeiro. No dia de voltar, acordei com a notícia de que um conflito entre traficantes rivais havia fechado as vias de acesso à capital. O noticiário aconselhava a população a não retornar para casa. Foi em uma peça baseada no livro de Luiz Eduardo Soares, secretário de Segurança na época do fatídico Réveillon, que fui apresentada à suposta gravidade maquiavélica dos bastidores daquela ação. Não sei o quanto "Tropa de Elite 2" vai se basear no que assisti em cena. Segundo a ficção teatral, o personagem de Luiz Eduardo ordenou a ocupação da rendosa favela da Rocinha pelo Bope. Para tirá-lo de lá, a própria chefia da polícia provocou uma guerra entre facções contrárias na região metropolitana do Grande Rio, obrigando a tropa de choque a se retirar do morro da zona sul para controlar a violência na periferia. Sem a presença do Bope, o tráfico se restabeleceu na Rocinha e, junto com ele, o esquema de propina das delegacias cariocas. Existia fundamento naquela barbárie. Toda vez que um pleito se aproxima, o Rio de Janeiro sofre uma abrupta onda de cólera e irracionalidade. Neste ano não foi diferente. Arrastões e ataques de porte a postos policiais voltaram a nos deixar de orelha em pé. Quando assisti as imagens da troca de tiros e granadas entre um bonde de mercenários ligados ao traficante Nem e policiais ação que culminou com a invasão do Hotel Intercontinental em São Conrado lembrei do incidente do Bope e me perguntei se não havia motivação política por trás da bestialidade. O Rio deve reeleger um governo cujo secretário de segurança, José Mariano Beltrame, reduziu o território sob controle de traficantes armados. Semear o pânico, entre outras utilidades, exibe poder, diminui os feitos do opositor, ou os liquida com simples atentados. Marcelo Freixo, deputado empenhado na luta contra a insanidade bélica do Rio de Janeiro, tem grandes chances de não se reeleger. Se isso acontecer, perderá a proteção oficial que já desbaratou cinco tentativas de assassinato contra ele e terá que deixar o país. Já Tiririca será eleito com mais de 1 milhão de votos e ainda propiciará ao seu partido emplacar seis outros candidatos. Tiririca é uma piada niilista do eleitor, é como votar no Macaco Tião. A diferença é que o Macaco Tião valia como voto nulo. Tiririca, não. Esse vai bater ponto no Congresso sem compreender, como confessa, sua função de deputado. Tiririca e a Mulher Pêra, ambos, e muitos outros, servirão de massa de manobra para interesses que não dominam, enquanto Freixo é despachado para a fronteira mais próxima na clandestinidade. A indiferença, na figura do voto nulo, é a maneira mais eficaz de evitar a angústia e se eximir da culpa da responsabilidade. É compreensível. Grave mesmo é a descrença de quem dá poder ao Tiririca. Pior que está fica. Fernanda Tores é atriz

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

A tristeza no fundo dos olhos.

Minha manhã estava sendo linda, era um começo de primavera, e via as flores que ressurgiam dos canteiros que rodeava a estrada de barro que me ligava ao trabalho, eu ficava olhando a estrada durante alguns minutos, até que uma senhora sentou ao meu lado, com seus cabelos grisalhos e um sorriso falsário no rosto, dava para perceber a que mesmo com um espírito alegre que rondasse sua face. Ela era triste, por que seus olhos azuis feitos o mar num dia de verão com o sol brilhante, sua alma que dentro daqueles olhos estavam, mostravam que aquela mulher era triste, uma tristeza que se misturava com a alegria, esta que vinha de uma família que formara. De seus netos que os deixou brincando no quintal entre os coelhos e o cachorro de estimação, de seu filho que foi trabalhar e no final daquela tarde ao retornar daria um beijo nele e abraçaria sua nora, esta por sinal, havia saído a pouco para trabalhar e ao revê-la perguntaria como foi o dia. Sua tristeza não parecia que surgiu de sua viúves, nem de um casamento infeliz, do qual ela nunca se arrependeu, ela sempre foi muito amada e gostava do esposo, o qual lhe deu um lar e construiu uma família. Essa tristeza era de um amor do passado que nunca conseguira esquecer, um amor que nunca mais encontrou, e no passado não conseguiu deixá-lo, não foi simplesmente um namorico de infância, algo volátil. Foi algo que ficou marcado para sempre feito dermopigmentação duradoura.

Acabei perdendo a hora e passando o ponto, mais isso pouco me importava naquele momento, por que algo mais importante havia acontecido.

Somente em olhar no fundo dos olhos daquela senhora, senti a tristeza como se fosse minha, sentir como se também fizesse parte aquela vida. Desse dia em diante acabei sendo triste também.

Ramon Morays

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Felicidade alheia

Por Ramon Morays

Tô muito feliz, muito mesmo, por que hoje descobrir que uma pessoa estar mais feliz. O que é isso? Que coisa doida!?
Pois é, estou feliz por saber que outra pessoas estar feliz, e isso me basta, só que essa pessoa é bem especial para mim, e isso me deixa ainda mais feliz. Quem é? Não digo nem sobe tortura...
Escrevir um poema para essa pessoa, espero que vocês gostem:


Renascença

"Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma.
A alma é que estraga o amor."

Manuel Bandeira


Existia um ser aí dentro,

Que gozava do ódio da inveja.

Existia um ser duplex,

Que mesmo sem sentido e cabimento

Persistia na miséria.


Para ela, contrário era verídico,

O fato era algo itinerário

De uma adolescência consternar.


Certa noite tudo mudou,

As estrelas se locomoveram

Para órbita do universo sem fim.


Quebrando o gelo pouco á pouco,

Mudando sentimento, mudando gosto.

Por mais que disse não, mesmo assim,

Ainda adverso, meu coração sabia,

Que aquela menina estava viva, existia.

(Seu olhar ainda brilhava...)


21/09/2010

domingo, 19 de setembro de 2010

Agora é hora de acordar!




Agora, mais do que nunca é hora de acordar, primeiro que é tempo de eleição, segundo por que o Brasil já viveu mais de 500 anos na mão dos exploradores e esse país não merece essa injustiça. “Nessa terra tudo que se planta dar!”.

Abaixo tem dados dos deputados e senadores do Brasil. Não custa nada olhar, se seu candidato tiver site dêem uma olhada, veja suas propostas, seu passado. Vote em quem tem compromissos com o povo. Mais compromisso verdadeiro, nada utópico.

Dados do site da Câmara federal e do Senado.

E do Blog conteúdo livre.


Políticos e empresas esperam retorno do investimento

CLAUDIO WEBER ABRAMO
ESPECIAL PARA A FOLHA

Empresas não investem no financiamento de candidatos por apreço à democracia. Fazem-no com base num raciocínio pragmático: esperam que seus interesses sejam satisfeitos caso o beneficiário seja eleito. Isso não envolve necessariamente desonestidade. O interesse de um financiador pode ser ideológico ou programático -porque está interessado no fortalecimento de privatizações, na redução de impostos e assim por diante.
É claro que o intuito pode ser escuso. Os mais comuns são favorecimentos em contratações, facilidades no relacionamento com agências reguladoras e órgãos de controle, favores fiscais etc. O principal motivo pelo qual é importante que a legislação inclua a obrigatoriedade de identificação dos doadores de campanhas é permitir vigiar os eleitos para verificar se eles usam os cargos para favorecer seus doadores.
É o caso do Brasil, embora a prática da vigilância (por parte da imprensa, de ONGs, de associações) seja rara na maior parte do país.
As doações eleitorais incluem também dinheiro que os candidatos aplicam em suas campanhas. Dependendo dos montantes, a justificativa para a autodoação é misteriosa. Alguns políticos fazem autodoações que chegam a porcentagens elevadas dos bens que declaram possuir. Outros doam a si mesmos mais do que têm.
Por que um candidato aplicaria recursos volumosos para se eleger para um cargo que nem de longe gerará (oficialmente) algo parecido com o dinheiro empenhado?
A menos que se acredite em geração espontânea de dinheiro, de algum lugar eles esperam obter retorno. A perspectiva de se encontrar em posição de achacar empresas explica por que determinados políticos investem alto em suas eleições.
Parte do descompasso se deve ao fato de, não raro, políticos embolsarem estipêndios que cobram das suas Casas legislativas como se fossem despesas relacionadas ao "exercício do mandato". Escândalos ligados a isso aparecem periodicamente.
Contudo, descontando-se o Senado, a Câmara dos Deputados, algumas Assembleias Legislativas e pouquíssimas Câmaras Municipais, o resto do Legislativo brasileiro mantém total opacidade sobre essas despesas. Não se deve ser otimista quanto ao aproveitamento que os políticos fazem de tal opacidade.

CLAUDIO WEBER ABRAMO é diretor-executivo da ONG Transparência Brasil




10 momentos marcantes
do período de 2007 a 2010

A legislatura que se encerra em janeiro não economizou em escândalos. Mas, pressionado, o Congresso também aprovou regras que tiveram efeito prático imediato, como a lei Seca e a da Ficha Limpa, esta de iniciativa popular

RANIER BRAGON E ANDREZA MATAIS
DE BRASÍLIA

1. CASO RENAN
2007

Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) foi acusado de ter a pensão de uma filha com a jornalista Mônica Veloso paga por um lobista da construtora Mendes Júnior. O caso desembocou em várias acusações, mas Renan escapou da cassação, embora tenha sido forçado a renunciar à presidência

"Para tirar o coco, não basta balançar o pé, que ele não cai. Quem quiser vai ter que subir no pé e retirar o coco com as próprias mãos"
RENAN CALHEIROS, dias antes de renunciar

2. FARRA DAS PASSAGENS E DAS NOTAS
2009

Congressistas usaram sua verba de passagem aérea para fazer viagens de turismo com familiares, amigos e aliados, incluindo o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP). Na esteira do escândalo, outros foram revelados, como o uso de dinheiro para pagamento de empregadas domésticas de congressistas. Notas fiscais obtidas pela Folha por via judicial revelaram o uso de empresas fantasmas para justificar gastos de deputados

"A questão relativa à emissão de passagens aéreas é uma atribuição administrativa com a qual nunca lidei pessoalmente"
FÁBIO FARIA (RN), deputado, que usou dinheiro da Câmara para pagar passagens para a então namorada, Adriane Galisteu, e para levar atores para Natal


3. ATOS SECRETOS
2009

José Sarney (PMDB-AP) iniciou a gestão na presidência do Senado com o diretor-geral, Agaciel Maia, seu aliado, acusado de esconder da Justiça uma mansão avaliada em R$ 5 milhões. Sarney tentou segurá-lo no cargo, mas teve de demiti-lo. O próprio Sarney virou centro de uma crise após a revelação de que teve parentes contratados por meio de atos secretos. A Casa registrava mais de 300 desses atos. As denúncias resultaram em 11 pedidos de cassação de seu mandato, todos arquivados

"As grandes injustiças só podem ser combatidas com três coisas: o silêncio, a paciência e o tempo"
JOSÉ SARNEY (PMDB-MA), citando o filósofo e escritor romano Lúcio Aneu Sêneca (morto em 65 d.C.)

4. O CASTELO DE EDMAR
2009

Ao assumir a Corregedoria da Câmara, Edmar Moreira (MG) disse que o "vício insanável da amizade" é um obstáculo na investigação de colegas. Atraiu holofotes com as imagens de castelo que construíra em Minas. Ele deixou o cargo de corregedor em meio a acusações de mau uso de verba, mas manteve mandato de deputado

"Estou me lixando para a opinião pública"
SÉRGIO MORAIS (RS), relator do caso de Edmar Moreira no Conselho de Ética, ao responder se temia repercussão negativa de uma eventual absolvição dele

5. CPIs ESVAZIADAS
2007 - 2010

As CPIs realizadas não resultaram em renúncia, cassação ou prejuízos eleitorais relevantes. Pouco produtivas, algumas foram esvaziadas ou controladas pelo governo. De mais destaque, houve a que investigou o uso dos cartões corporativos pelo governo (2008) e as que bordaram a crise aérea de 2006 e 2007

"Essa CPI não andou. Está capenga e vai ser enterrada. O que fizemos foi defender o governo"
CARLOS WILLIAN (PTC-MG), comemorando o fim da CPI dos Cartões Corporativos

6. FICHA LIMPA
2010
Sancionada em junho de 2010, a Lei da Ficha Limpa dificulta a candidatura de políticos com problemas na Justiça. Ela foi usada pela Justiça Eleitoral para barrar a candidatura de mais de 200 políticos. Em linha contrária, o Congresso aprovou em 2009 uma minirreforma eleitoral que dificultou a punição de políticos

"A minha ficha é a mais limpa do Brasil"
PAULO MALUF (PP), deputado federal, que teve candidatura barrada no TRE e aguarda recurso

7. LEI SECA
2008

Em junho de 2008, é sancionada lei aprovada pelo Congresso que passa a considerar crime a condução de veículos por motoristas que tenham teor de álcool no organismo acima de 1 mg/l. Balanço divulgado pelo Ministério da Saúde em junho deste ano diz que o total de mortes no trânsito caiu 6,2% nos 12 meses seguintes à aprovação da lei


8. DIVÓRCIO MAIS RÁPIDO
2010

Em julho deste ano, foi promulgada pelo Congresso a emenda à Constituição com o objetivo de instituir o divórcio direto e sem nenhum prazo. O pedido de divórcio pode agora ser imediato, feito assim que o casal decidir pelo término do casamento

"Vai ser a PEC (proposta de emenda constitucional) do desamor. É pensando melhor que o casal descobre o melhor caminho"
MARCELO CRIVELLA (PRB-RJ), senador

9. DERROTAS DO GOVERNO
2007

Por quatro votos, o governo perdeu a votação que extinguiu a CPMF, deixando de arrecadar R$ 40 bilhões ao ano. Em junho de 2010, o governo foi obrigado -para evitar desgaste eleitoral- a sancionar o reajuste de 7,7% aos aposentados, aprovado pelo Congresso, com gasto adicional de R$ 1,6 bilhão só neste ano

"A situação no Senado é muito difícil, a oposição está conseguindo dominar a Casa"
VALDIR RAUPP (RO), então líder do PMDB no Senado, dias depois da derrubada da CPMF

10. ALIANÇA PT E PMDB
2007

O PMDB iniciou um processo de unificação em torno do governo Lula. O fato mais marcante foi a aliança com o PT para a eleição de Arlindo Chinaglia (PTSP) para a presidência da Câmara, no biênio 2007-2008, com compromisso da eleição de Michel Temer (PMDB-SP) para 2009-2010

"Ela [Dilma Rousseff] hoje tem um casamento com o PCdoB, um noivado como PMDB e como PDT. Um namoro como PR e o PP. E um flerte como PSB. E olha que até noivado se desmancha na porta da igreja"
MÁRCIO FRANÇA (PSB-SP), deputado federal




O CAMINHO DE UM PROJETO

Tramitação mais comum começa na Câmara

CÂMARA
1. Projeto é proposto por deputado, senador, presidente, STF, Procuradoria ou cidadão
2. Texto é analisado por comissões e, se aprovado, é enviado para o plenário
3. Aprovado pelo plenário, projeto segue para o Senado

VOTOS PARA APROVAÇÃO
Projetos de lei: maioria simples de deputados/ senadores, em um turno
Medidas provisórias: maioria simples de deputados, em um turno
Emenda à Constituição: 3/5 de deputados/senadores, em dois turnos

SENADO

4. Texto passa por comissões da Casa
5. Aprovado, é submetido a votação no plenário
6. Caso os senadores façam alterações, texto volta para análise da Câmara, que aceita ou rejeita as mudanças

PRESIDÊNCIA

7. Após aprovação no plenário do Senado, projeto segue para o presidente, que pode sancionar ou vetar

COMO FUNCIONA UMA VOTAÇÃO

Sessão é aberta
É preciso um quorum de 51 deputados ou de quatro senadores, no caso do Senado

Projeto é discutido
Presidente dá início para que o relator e parlamentares falem contra e a favor

Votação
Líderes orientam suas bancadas, e o projeto é votado se houver quorum de 257 deputados ou de 41 senadores

Parlamentares podem aprovar, rejeitar ou se abster
Também podem aprovar de forma simbólica, quando não há objeções

Resultado e emendas
O presidente declara o resultado e coloca em discussão eventuais emendas ao projeto, que são votadas separadamente.

___________________________________________________________________


Já aqui na Bahia:


Puxadores de voto ajudaram a definir bacanda governista

Fonte: www.tribunadabahia.com.br

O pleito se aproxima e crescem as especulações e apostas sobre os nomes que deverão ser eleitos no dia 3 de outubro. Para a Câmara Federal, os governistas devem eleger a maior bancada, enquanto a oposição (DEM), que disputa a sua primeira eleição estadual sem a presença do ex-senador Antonio Carlos Magalhães, morto em 2007, deve encolher. De acordo com as previsões dos partidos e análises de especialistas, enquanto os governistas devem eleger entre 24 a 25 dos 39 deputados federais da Bahia, a oposição deve eleger apenas de 14 a 15 parlamentares.

Pela coligação governista, que disputa com um chapão formado pelos partidos PT/PP/PDT/PCdoB/PRB/PSB/PHS/PSL, a estimativa é eleger entre 24 a 25 deputados federais.

Quatro nomes despontam como os principais puxadores de votos: João Leão (PP), Rui Costa, Nelson Pelegrino e Valmir Assunção (PT), todos considerados que terão votação superior a 200 mil votos, além de Felix Mendonça Júnior (PDT), que se não atingir essa marca ficará perto. Além destes, os prováveis eleitos são Sergio Carneiro, Waldenor Pereira, Afonso Florence, Amauri Teixeira, Josias Gomes, Geraldo Simões, Zezeu Ribeiro e Luiz Alberto ou Emiliano José (PT), Mário Negromonte, Roberto Brito e Luiz Argolo (PP), Marcos Medrado, Oziel Oliveira e José Carlos Araújo (PDT), Daniel Almeida e Edson Pimenta (PCdoB), Marcio Marinho e Popó (PRB), Domingos Leonelli (PSB) e Uldorico Pinto (PHS).

Pela coligação PMDB/PR/PTB/PSC/PPS/PRP/PSDC/PTC/PTN/PMN, que tem o ex-ministro Geddel Vieira Lima como candidato ao governo, a estimativa é que sejam eleitos entre 7 e 10 deputados federais. Na condição de presidente do PMDB e por ter herdado os votos do irmão Geddel, Lúcio Vieira Lima deve ser o grande puxador de votos da coligação. Pelas projeções para a Câmara Federal, estariam eleitos ainda Marcelo Guimarães Filho, Arthur Maia e Colbert Martins Filho (PMDB), José Rocha, João Bacelar e Mauricio Trindade (PR), Antônio Brito e Jonival Lucas (PTB).

Alguns nomes tradicionais do PMDB, embora tenham chances, podem ter dificuldades para renovar os seus mandatos nesta eleição. Um deles é Severiano Alves. Raimundo Veloso também estaria na zona de risco.

Tucanos projetam eleger três

Segundo o líder da bancada do PSDB na Câmara Federal, João Almeida, o seu partido deverá eleger pelo menos três deputados federais: Jutahy Júnior, Antônio Imbassahy e ele próprio. “Dependerá muito da votação que Imbassahy terá em Salvador, porque eu e Jutahy já sabemos o que temos, por sermos candidatos a deputado federal há muito tempo”, estimou.

“Se ele (Imbassahy) tiver entre 50 a 60 mil votos na capital, emplacamos três”, projetou Almeida, que está no quinto mandato. Questionado sobre a sua reeleição, que já foi considerada difícil em outros momentos, o tucano atribui a boatos. “Na boca dos outros, sempre foi assim. A minha eleição não está nem ruim nem boa, eu estou eleito”, disse, otimista, citando nomes que foram dados como favoritos em eleições anteriores e que caíram após a apuração.

Além de ser guindado à condição de líder do PSDB, que lhe trouxe mais visibilidade, Almeida também ganhou o apoio do ex-prefeito de Guanambi, Nilo Coelho, o que lhe renderá bons votos na região Sudoeste. Nos partidos menores, o PV é o que tem mais condições de eleger representantes para a Câmara Federal. Alem de Edgar Mão Branca, os verdes podem eleger ainda Rose Bassuma, lançada para ocupar o espaço do seu esposo, o deputado Luiz Bassuma, que disputa o governo. Sem Edson Duarte, que disputa o Senado, a depender do voto de legenda, o partido espera eleger ainda Juliano Matos, ex-secretário estadual do Meio Ambiente. (EM).

DEM diminuirá a bancada

Já o Democratas, que na eleição passada elegeu 13 deputados federais baianos, agora, devem reduzir drasticamente a sua bancada. O deputado ACM Neto, que disputa a reeleição, é tido como o grande puxador de votos da legenda.

Após ser o mais votado na Bahia em 2006, agora, por ter disputado a eleição municipal de 2008, Neto aumentou o seu reccal na capital baiana e continua com boa penetração nos grandes centros e pequenos grotões do interior. Pelas projeções, os outros prováveis eleitos são Fábio Souto, Paulo Magalhães, Jorge Khoury e Luiz Carreira. Fernando Torres e José Nunes, que deixaram a Assembleia Legislativa. Cláudio Cajado, que disputa a reeleição, também tem chances.


__________________________________________________________________


Bem, no meu último artigo falei que iria passar uma semana "fora do ar" para poder me dedicar a mim mesmo, mais isso não aconteceu, primeiro porque acabei me encontrado com meu 'eu' em menos de 3 horas de pensamentos profundos, e segundo por que escrever aqui no blog, no twitter, no fotolog e outros tantos 'trecos' que tenho por aqui e alí na internet já se tornou uma rotina -digamos assim, um vicio- dos mais piores pensamentos ao melhor possivel. E agora estou de volta e renovado com muiiitas idéias na "casuleta" que mostrarei a vocês ao decorrer do mês de setembro, esse por sinal tá tendo várias publicações, também otros moderadores tomaram vergonha na cara e resolveram se expressar, agora deixe-me tomar meu café em paz e voltar a pensar. -Em que?- Não digo nem sob tortura! rsrsrs

meu twitter é @ramonmorays

Abraços e bom domingo.

Ramon Morays

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Tempo Mágico

Eu e Bazza, uma amiga
Eu no centro de óculos, e Will,Venicius moderadores do blog, e Caique, um amigo. Foto de 2004 começo de uma grande amizade.

Tempos mágico

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados. Não tolero gabolices. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para projetos megalomaníacos. Não participarei de conferências que estabelecem prazos fixos para reverter a miséria do mundo.

Não quero que me convidem para eventos de um fim de semana com a proposta de abalar o milênio.

Já não tenho tempo para reuniões intermináveis para discutir estatutos, normas, procedimentos e regimentos internos. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturas.

Não quero ver os ponteiros do relógio avançando em reuniões de "confrontação”, onde "tiramos fatos a limpo". Detesto fazer
acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.

Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou: "as pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos". Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...

Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, defende a dignidade dos marginalizados, e deseja tão somente andar ao lado de Deus.

Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, desfrutar desse amor absolutamente sem fraudes, nunca será perda de tempo. O essencial faz a vida valer a pena.

RUBEM ALVES


__________________________________________________________


Bem, preciso de um tempo para mim, para refletir e descansar um pouco, ficarei uma semana sem aparecer por aqui, até lá, só os post's de meus colegas, então até domingo dia 26/09
Abraços

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Esse menino é muito ousado!

Por Ramon Morays

O PORTUGUÊS E O GATO

O português estava de saco cheio do gato da Maria, sua mulher.
Então, num belo dia de sol, pegou o bichano, pôs num saco, amarrou a boca, pôs no porta-malas do carro, andou 20 quadras, largou o saco lá. Quando voltou, o gato estava na porta de casa.
Irritado, o português repetiu a operação, andou 40 quadras e largou o saco lá.
Quando voltou, o gato estava novamente na porta de casa.
Enfurecido, repetiu a operação, andou 20 quadras à frente, 30 pra esquerda, 40 pra direita, 10 pra baixo, 32 pra cima...
- Agora eu quero ver!, disse o portuga.
Passaram uns cinco minutos, ele ligou pra casa e a mulher atendeu:
- Maria, o gato tá aí?
- Ele acabou de chegar, por quê?
- Põe este filho da puta no telefone porque eu tô perdido!

________________________________________________________

SENSAÇÃO FARMACÊUTICA


Acaba de chegar de Londres a nova vedete da indústria farmacêutica mundial.
Uma pílula: parte Viagra, parte Dramin e parte Gardenal.
Pra você comer sua mulher todo dia, não enjoar e não enlouquecer.

Nem precisa ler.

Por mais que digam ou até mesmo gritem, que forcem meu cérebro a reproduzir e se sentir bem com a verdade criada por poderosos, não aceito, não me rendo, minha face acostumada com o cheiro do chão podre de ruas mortas e cruéis não derrama mais lágrimas, mas meu corpo ainda sente inveja de quem sorrir ou sente nojo de mim, como posso ter um sonho? Como posso sonhar com fome e sede? Sou sujo, não tenho sapatos ou roupas limpas, minha educação é nula de nobreza. Meu sorriso é negro, meus olhos vermelhos não são por droga deve ser por algo que perdi quando nasci meu corpo magro não é por beleza, é por falta de Deus em minha vida e algo para por na boca. Desculpe minhas falhas no português, mas na minha existência não houve escola para símbolos em papel ou cálculos repetidos para fixar algo que nunca tocarei. Acho que você pode me denominar o lixo da sua rua, ou o menino que você tem medo quando passa por perto. Nem tenho um nome realmente, na minha lápide só haverá uma frase: Morto antes mesmo de nascer.
Vinicius Amaral

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

NADA PARA ESCREVER...

Quem tem ânimo para sair da cama pela manhã? Passar o dia todo fazendo coisas que te dizem ser essencial para demonstrar sua superioridade no mundo é ser superior? O que é, ou há superioridade da nossa espécie para as outras?

Somos a vergonha de todos os reinos, não temos nossa guerra para vencer, nem temos um exercito da esperança, ou mesmo uma cruz para brincar. Vivemos aos extremos, porem extremos desnecessários, formulados por sapiens que dominam a massa irracional do globo. A curiosidade não é um erro, a procura por conhecimento não é tolice, por mais que você pense que sim. Desculpe meus erros e comemore comigo, pois se o mundo é uma mentira, minha verdade é mais um pensamento vazio de adolescente.

Vinicius Amaral

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Essa se deu mal

Três amigas, uma noiva, uma casada e uma amante decidiram fazer uma
brincadeira: seduzir seus homens usando uma capa, corpete de couro,
máscara nos olhos e botas de cano alto, para depois dividir a experiência
entre elas.

No dia seguinte, a noiva iniciou a conversa:
- Quando meu namorado me viu usando o corpete de couro, botas com
12 cm de salto e máscara sobre os olhos, me olhou intensamente e
disse: 'Você é a mulher da minha vida, eu te amo'. Fizemos amor
apaixonadamente.

A amante contou a sua versão:
- Encontrei meu amante no escritório, com o equipamento completo!
Quando abri a capa, ele não disse nada, me agarrou e fizemos amor à
noite toda, na mesa, no chão, de pé, na janela, até no hall do
elevador!


Aí a casada contou sua história:
- Mandei as crianças para a casa da minha mãe, dei folga pra
empregada, fiz depilação completa, as unhas, escova, passei creme
no corpo inteiro, perfume em lugares estratégicos e caprichei: capa
preta, corpete de couro, botas com salto de 15 cm , máscara sobre
os olhos e um batom vermelho que nunca tinha usado.
Pra incrementar, comprei uma calcinha de lycra preta com um lacinho de cetim no ponto G. Apaguei todas as luzes da casa e deixei só
velas iluminando o ambiente. Meu marido chegou me olhou de cima
abaixo e disse:


- Fala aí, Batman, cadê a janta?

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O significado da palavra "Lúcifer"


LÚCIFER A palavra LÚCIFER tem uma origem tremendamente simples. Entretanto, foi e é fruto dos “oportunistas” religiosos que, normalmente visado obtenção de bens materiais, se aproveitavam e se aproveitam da ignorância das pessoas. Desse modo, devido às convenientes interpretações, têm essa palavra, hoje, diversos significados. A origem correta é: portador(a) da luz (do Latim lucis = luz e ferre = carregar, portar, trazer. Idem para o grego heosphoros), e era o nome dado ao planeta Vênus, que é visível antes do alvorecer e que, simbolicamente, seria o portador da luz do Sol que em breve estaria brilhando. Segundo o pesquisador iconográfico Luther Link, Isaías, na Bíblia fez uma designação descritiva aplicada a uma metáfora referente aos excessos de um “rei da Babilônia”, e não a uma entidade em si: “Como caíste do céu, o Lúcifer, tu que ao ponto do dia parecias tão brilhante” Isaías não estava falando do Diabo. Usando imagens possivelmente retiradas de um antigo mito cananeu, Isaías referia-se aos excessos de um ambicioso rei babilônico. (Wikipédia) Aproveitemos as informações dessa Enciclopédia: “A expressão hebraica (heilel ben-shahar) é traduzida como “o que brilha”. A tradução “Lúcifer” (portador de luz), deriva da Vulgata latina de Jerônimo e isso explica a ocorrência desse termo em diversas versões da Bíblia. Mas alguns argumentam que Lúcifer seja satanás e por isso, também foi o nome dado ao anjo caído, da ordem dos Arcanjos. Assim, muitos nos dias de hoje, numa nova interpretação da palavra, o chamam de Diabo (caluniador, acusador), ou Satã (cuja origem é o hebraico Shai'tan, Adversário). Os judeus o chamam de heilel ben-shachar, onde heilel significa Vênus e ben-shachar significa "o luminoso, filho da manhã". Alguns judeus interpretam Lúcifer como uma referência bíblica a um rei babilônico. Mais tarde a tradição judaica elaborou a queda dos anjos sob a liderança de Samhazai, vindo daí a mesma tradição dos padres da Igreja. Segundo a igreja católica, Lúcifer era o mais forte e o mais belo de todos os Arcanjos. Então, Deus lhe deu uma posição de destaque entre todos os seus auxiliares. Segundo a mesma, ele se tornou orgulhoso de seu poder, que não aceitava servir a uma criação de Deus, "O Homem", e revoltou-se contra o Altíssimo. O Arcanjo Miguel liderou as hostes de Deus na luta contra Lúcifer e suas legiões de anjos corrompidos; já os anjos leais a Deus o derrotaram e o expulsaram do céu, juntamente com seus seguidores. Desde então, o mundo vive esta guerra eterna entre Deus e o Diabo; de seu lado Lúcifer e suas legiões tentam corromper a mais magnífica das criaturas mortais feitas por Deus, o homem; do outro lado Deus, os anjos, arcanjos, querubins e Santos travam batalhas diárias contra as forças do Mal (personificado em Lúcifer). Que maior vitória obteria o Anticristo frente a Deus do que corromper e condenar as almas dos humanos aos infernos, sua morada verdadeira?” Abrindo um parêntese: dá para se perceber que a imaginação do ser humano não tem limites. Anjo... Arcanjo... O mais forte e belo dos Arcanjos... Auxiliares de Deus... Caramba! É interessante como se dá um “comportamento totalmente humano” a Deus e muitos aceitam como se fosse a coisa mais natural do mundo!

Fonte:
http://pilulasmaconicas.blogspot.com/2009/06/n-31-lucifer.html

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

O Deísmo


O deísmo é uma postura filosófico-religiosa que admite a existência de um Deus criador, mas rejeita a idéia de revelação divina. É uma doutrina que considera a razão como a única via capaz de nos assegurar da existência de Deus, rejeitando, para tal fim, o ensinamento ou a prática de qualquer religião organizada.

O deísmo pretende enfrentar a questão da existência de Deus através da razão, em lugar dos elementos comuns das religiões teístas como a revelação directa, a fé ou a tradição. Os deístas em geral rejeitam a religião organizada e o(s) deus(es) - dito(s) - “revelado(s)”, argumentando que Deus é o criador do mundo mas que não intervém de forma alguma nos afazeres do mesmo, embora esta posição não seja estritamente parte da filosofia deísta. Para eles, Deus se revela através da ciência e as leis da natureza. O deísta não necessariamente nega que alguém possa receber uma revelação directa de Deus, mas essa revelação será válida ´´só´´ para uma pessoa. Se alguém lhe diz que Deus se revelou, para ele será uma revelação secundária e ninguém é obrigado a segui-la. Isto implica a possibilidade de estar aberto às diferentes religiões como manifestações diversas de uma mesma realidade divina, embora não crendo em nenhuma como “verdadeira” ou “totalmente verdadeira”.


Características
Os deistas acreditam em Deus, mas frequentemente se encontram insatisfeitos com as religiões e apresentam geralmente estas afirmações que os diferenciam dos teístas praticantes.

1- Creio em Deus, mas não pratico nenhuma religião em particular.
2- Creio que a palavra de Deus é o Universo e a natureza, mas não os livros "sagrados" escritos por Homens.
3- Gosto de usar a razão para imaginar como será Deus e não apenas aceitar que me doutrinem.
4- Acredito que os ideais religiosos devem tentar reconciliar e não contradizer a ciência.
5- Creio que se pode encontrar Deus mais facilmente fora do que dentro de uma igreja.
6- Desfruto da liberdade de procurar uma espiritualidade que me satisfaça.
7- Prefiro guiar minhas opções éticas pela consciência e reflexão racional a aceitar as opções ditadas pelos livros "sagrados" ou autoridades religiosas.
8- Sou um pensador individual, cujas crenças religiosas não se formaram por tradição ou autoridade de outros.
9- Creio que religião e Estado devem estar separados.



fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/De%C3%ADsmo

E foi mal...A minha é federal!!!!

Era para ser ser uma 'brincadeira' com a propaganda da Mastercard, mas acabou virando provocação entre as Faculdades...Veja até o final.

Estudar na UNIME: R$ 700,00
Estudar na FACET: R$ 757,00
Estudar na Ruy Barbosa: R$ 800,00
Estudar na UNIFACS: R$ 750,00
Estudar na JORGE AMADO: R$ 800,00
Estudar na UCSAL: R$ 640,00
Estudar na FDJ: R$ 600,00
Estudar na FIB: R$ 650,00
Estudar na FTC: R$ 700,00
Estudar na Isaac Newton: R$ 320,00
Estudar na Cairu: R$ 460,00
Estudar na UFBA. . . Não tem preço! ! !

Mas também...

Não tem aula. . .
Não tem professores. . .
Não tem giz, carteira, material didático. .
Não tem festa boa. . .
Não tem gente bonita. . . . . . e no verão , não tem férias ! ! !
Existem coisas que o dinheiro não compra...(desorgani zação, preguiça, etc...) para todas as outras, existe o Mastercard.


RESPOSTA DE UM ALUNO DA FEDERAL

Estudar em uma federal : Realmente não tem preço ! ! !

E também:

1. Não tem semi-analfabeto
2. Não tem reitor mercenário
3. Não tem (muito) filhinho de papai
4. Não tem encheção de saco do papai nem da mamãe, eles não pagam sua faculdade, então não podem falar nada
5. Não tem shopping, manicure, salão de beleza . . .
6. Não tem monitor metido a professor
7. Não fingimos que temos prova, nem fingimos que somos avaliados
8. Não tem provas com média 5.0, para passar
9. Nem o esquema 'ppp' (papai pagou passou! )
10. Tem ensino de qualidade, pesquisa e extensão (os cursos particulares sabem o que é isso ? )

RESPOSTA DE UM ALUNO DA 'PARTICULAR'

1. Caro amigo maconheiro, parabéns pelas suas justificativas (ponto pra você).
2. O fato de pagar a faculdade é problema para os quebrados, não para mim! (ponto pra mim)
3. Nas federais tem ensino de qualidade, pesquisa e extensão (ponto pra você).
4. Na minha faculdade, alguns dos melhores professores das federais, todos doutores, foram contratados para ganhar 3 a 4 vezes mais e, por isso, ministram as aulas com mais tranqülidade e empenho, pois não têm que se descabelar com as dí­vidas e o cheque especial no vermelho!!! (ponto pra mim)
5. Eu estudo numa sala que tem cadeiras acolchoadas, ar condicionado, canhão de luz com telão, retroprojetores, datas-show, quadro branco e espaço para todos que, na maioria, usam bom desodorante! ! ! (ponto pra mim).
6. Você provavelmente senta naquelas cadeiras pichadas com liquid paper, que a minha avó usou.
Sem contar o quadro de giz e o ventilador espalhando cal pela sala... (ponto pra mim)
7. E outra coisa: Na minha faculdade, nós entramos estudantes e saí­mos como estudantes.
Nas federais, na maioria das vezes, entra-se estudante e sai punk, maconheiro, nerd, rasta, canhão, doidão, pé sujo, metaleiro e quase sempre petista! ! ! (ponto pra mim)
Por falar em sair: Quando é que você vai sair daí???
Tem alguma previsão?
Amanhã pode ter mais greve e você ficar mais um ano sem férias.
Ah... Férias. . . Férias. . . Férias! ! !
Você não tem mais férias?


Conta-resposta ao aluno da federal.


Não sei se você sabe caro alunos de univercidades privadas(só podia ser por que são tudo umas bosta mesmo),

As pesquisas mostram que mesmo com todas as precariedades 95% dos alunos que cursam na federal conseguem emprego antes da formação, e desses 87% fazem mestrado, doutorado ou Pós-graduação, e viram doutores, ou cientistas. Enquanto vocês que ao invés de estudar vão a bebedeira dia de sexta-feira, saiba que o índice é só de 65% no mercado de trabalho. E até agora não encontrei nenhum doutor nem mestre que tenha saído de uma faculdade particular!

Foi mal a minha é federal!!!!


_________________________________________________________________________



Declaração de amor do mineiro

Ocê é o colírio du meu ôiu.
É o chicrete garrado na minha carça dins.
É a mairionese du meu pão.
É o cisco nu meu ôiu (o ôtro oiu - eu tenho dois).
O rechei du meu biscoito.
A masstumate du meu macarrão.

Nossinhora!
Gosto dimais DA conta docê, uai.

Ocê é tamém:
O videperfume DA minha pintiadêra.
O dentifriço DA minha iscovdidente.

Óiprocevê,
Quem tem amigossim, tem um tisôru!

Ieu guárdêsse tisouro, com todu carinho ,
Du Lado isquerdupeito !!!
Dentro do meu Coração!!!

AMO Ocê, uai!!!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Deus não criou o universo?!


Deus não tem mais lugar nas teorias sobre a criação do universo devido a uma série de avanços no campo da física, afirma o cientista britânico Stephen Hawking em seu novo livro, que teve trechos divulgados nesta quinta-feira.

Demonstrando uma posição mais dura em relação à religião do que a assumida nas páginas do best-seller internacional "Uma breve história do tempo", de 1988, Hawking diz que o Big Bang foi simplesmente uma consequência da lei da gravidade.

"Por haver uma lei como a gravidade, o universo pode e irá criar a ele mesmo do nada. A criação espontânea é a razão pela qual algo existe ao invés de não existir nada, é a razão pela qual o universo existe, pela qual nós existimos", escreve o célebre cientista em "The grand design", que será publicado em série no jornal The Times.

"Não é necessário que evoquemos Deus para iluminar as coisas e criar o universo", acrescenta.

Hawking se tornou mundialmente famoso com suas pesquisas, livros e documentários, apesar de sofrer desde os 21 anos de idade de uma doença motora degenerativa que o deixou dependente de uma cadeira de rodas e de um sintetizador de voz.

Em "Uma breve história do tempo", Hawking sugeria que a ideia de Deus ou de um ser divino não é necessariamente incompatível com a compreensão científica do universo.

Em seu mais recente trabalho, no entanto, Hawking cita a descoberta, feita em 1992, de um planeta que orbita uma estrela fora de nosso Sistema Solar, como um marco contra a crença de Isaac Newton de que o universo não poderia ter surgido do caos.

"Isso torna as coincidências de nossas condições planetárias - o único sol, a feliz combinação da distância entre o Sol e a Terra e a massa solar - bem menos importantes, e bem menos convincentes, como evidência de que a Terra foi cuidadosamente projetada apenas para agradar aos seres humanos", afirma Hawking.

Fonte: jbonline.com.br


O que acho é que esse ser chamado Deus, Jeová, Buda, Gandy, Salá, Alah, Maomé ou qualquer nome, adjetivo ou titulo não tem importancia,porque o que importa mesmo é a fé ou amor que cada um tem para contribuir com um mundo (universo) melhor, com mais responsabilidade e menos arrogância.

Ramon Morays

_____________________________________________________

Adorei essa frase de uma amigo:
"..queria poder amá-la,amá-la como ninguém,mas como posso amá-la, se a mala ficou no trem?"by:Yuri Costa